14/11/2017


PEC 287

Centrais convocam paralisação nacional se Previdência for a voto

Nota foi divulgada por oito centrais sindicais; na XXI Plenária da Fenajufe, servidores destacaram necessidade de ampliar luta e construir nova greve geral

As centrais sindicais divulgaram nota na qual afirmam que vão convocar uma paralisação nacional dos trabalhadores do país caso seja marcada a votação da reforma da Previdência no Congresso Nacional.

A Proposta de Emenda Constitucional 287 está parada na Câmara dos Deputados, pronta para ser votada pelo Plenário, após ter sido apreciada nas comissões temáticas. A nota é assinada por oito centrais sindicais, entre elas a CSP-Conlutas, a Intersindical, a CUT, a CTB e a Força Sindical.

XXI Plenária Fenajufe

Resoluções aprovadas pelos servidores do Judiciário Federal e MPU, na XXI Plenária da Fenajufe, a federação nacional da categoria, destaca a necessidade de ampliar a resistência dos trabalhadores contra as reformas de Temer e de construir as condições para uma nova greve geral que pare o país.

Delegados e delegadas presentes à Plenária, ocorrida em Campo Grande (MS), de 9 a 12 de novembro, aprovaram texto que ressalta a importância de articular a paralisação: "A unidade que possibilitou a greve geral de 28 de abril é condição necessária para um movimento igual ou superior, mais que necessário para fazer frente à dimensão dos ataques em curso. O campo combativo e classista do movimento sindical deve aglutinar forças e se empenhar na construção de grandes lutas, rumo a uma nova greve geral, que una trabalhadores do serviço público com todos os demais setores da classe, contra o desmantelamento do Estado e dos direitos a muito custo conquistados".

A resolução também traz críticas às grandes centrais, que, após a expressiva greve geral de abril, acabaram por abandonar a convocação da nova paralisação que ocorreria em 30 de junho, véspera da votação da reforma trabalhista, projeto que acabou sendo aprovado.

Praça da Sé

A decisão das centrais em torno da possível convocação da paralisação nacional foi aprovada simbolicamente pelos milhares de manifestantes – algumas avaliações apontam dez mil pessoas – que participavam do ato unificado na Praça da Sé, em São Paulo, como parte das mobilizações nacionais contra as reformas de Temer promovidas no dia 10 de novembro.

 

A seguir, a nota publicada pelas centrais:

São Paulo, 10 de novembro de 2017

NOTA OFICIAL:

Centrais sindicais convocam paralisação nacional contra a Reforma da Previdência

"Hoje 10 de novembro de 2017, Dia Nacional de Lutas, quando milhares de trabalhadores se mobilizaram em todo país, nós sindicalistas e representantes das centrais sindicais abaixo assinadas convocamos por unanimidade, caso seja marcada a votação da Reforma da Previdência no Congresso Nacional, um dia de paralisação nacional.

A proposta foi colocada em votação na manifestação realizada na Praça da Sé e aprovada por todos os presentes.

Seguiremos na luta para impedir a retirada de direitos com a Reforma Trabalhista e barrar a Reforma da Previdência que ameaça a aposentadoria dos brasileiros."

Central dos Sindicatos Brasileiros – CSB

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB

Central Sindical e Popular – Conlutas

Central Única dos Trabalhadores – CUT

Força Sindical – FS

Intersindical Central da Classe Trabalhadora

Nova Central Sindical dos Trabalhadores – NCST

União Geral dos Trabalhadores – UGT



Helcio Lourenço Duarte